Custo do m2 Residencial no Brasil

Tempo de leitura: 2 min

Escrito por eliogualberto
em 25 de janeiro de 2022

O custo do m2 residencial no Brasil é bastante variável. Aqui no site temos um simulador de custos da construção que considera os estados mais populosos de cada região, além do Distrito Federal e mais o estado de Minas Gerais.

Agora, passaremos a publicar mensalmente o custo do m2 residencial no Brasil, para que você possa comparar as simulações com as informações de outros estados, não contemplados no simulador.

A tabela será preenchida com os dados informados pelos sindicatos da industria da construção civil de cada estado (Sinduscon) ou colhidas no site da Câmara Brasileira da Industria da Construção (CBIC), que recebe e publica os dados de alguns estados.

É comum não conseguir as informações de alguns Siduscon, em alguns meses, neste caso informaremos no campo referente o dado “sem acesso”.

As informações da tabela são valores em reais (R$).

Abaixo a tabela do custo do m2 residencial no Brasil, referente aos mês de janeiro/2022.

RegiãoEstadosPadrão Baixo [R1-B]Padrão Normal [R1-N]Padrão Alto [R1-A]Popular 1 Quarto
NorteAmazonas1891.572228.672999.581880.11
Amapá (com dados de nov/21)sem acessosem acessosem acessosem acesso
Acre (Informa dados 2017)sem acessosem acessosem acessosem acesso
Pará1714.82046.3126111776.63
Roraima2225.272353.853348.931812.48
Rondonia1602.711766.722252.841504.01
Tocantins (com dados de maio/19)sem acessosem acessosem acessosem acesso
NordesteAlagoas (com dados de dez/21)sem acessosem acessosem acessosem acesso
Bahia1844.072172.682758.971804.17
Sergipe1257.81530.042010.951228.9
Paraiba1606.371879.422330.851509.91
Rio Grande do Norte (dados junho/2021)sem acessosem acessosem acessosem acesso
Ceará1440.691733.012084.091486.15
Pernambuco1881.082236.662885.861719.36
Piaui1882.842238.582958.791721.65
Maranhão1519.861725.252135.551458.82
Centro OesteDistrito Federal1723.792075.092619.181750.04
Goiás1730.442022.072545.091680.9
Mato Grosso2160.462446.833005.91989.12
Mato Grosso do Sul1453.961694.872111.111455.98
SudesteMinas Gerais1960.822331.212931.621975.94
São Paulo1715.892098.342562.591851.03
Rio de Janeiro1903.392283.72837.021992.82
Espirito Santo2058.982428.673045.442014.43
SulParaná1981.332439.942998.442069.28
Santa Catarina2183.762606.783153.212334.13
Rio Grande do Sul1951.662509.433346.611998.65

Baixe a tabela em PDF para ver os números formatados e melhorar sua leitura.

Algumas informações importantes sobre o CUB (Custo Unitário Básico).

Origem do CUB:

O Custo Unitário Básico (CUB/m²) teve origem através da Lei Federal 4.591 de 16 de dezembro de 1964. Em seu artigo 54, a referida lei determina:

Art. 54: Os sindicatos estaduais da indústria da construção civil ficam obrigados a divulgar mensalmente, até o dia 5 de cada mês, os custos unitários de construção a serem adotados nas respectivas regiões jurisdicionais, calculados com observância dos critérios e normas a que se refere o inciso I, do artigo anterior.

Composição do CUB:

O CUB/m² representa o custo parcial da obra, isto é, não leva em conta os demais custos adicionais.

“Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e especificações correspondentes a cada caso particular:

-fundações, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático;

-elevador(es);

-equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros;

-playground (quando não classificado como área construída);

-obras e serviços complementares;

-urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A – quadro III);

-impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais;

-remuneração do construtor;

-remuneração do incorporador.”

Objetivo do CUB:

“O objetivo básico do CUB/m² é disciplinar o mercado de incorporação imobiliária, servindo como parâmetro na determinação dos custos dos imóveis.

Em função da credibilidade do referido indicador, alcançada ao longo dos seus mais de 40 anos de existência, a evolução relativa do CUB/m² também tem sido utilizada como indicador macroeconômico dos custos do setor da construção civil.

Publicada mensalmente, a evolução do CUB/m² demonstra a evolução dos custos das edificações de uma forma geral.”

As informações acima foram retiradas do site da CBIC.

Para usar o simulador de custos de obras você deve pode clicar neste link.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


2 Comentários

  • Daniel Augusto Batista disse:

    Gostaria de saber quanto o empreiteiro deve cobrar por metro quadrado de uma obra

    1. eliogualberto disse:

      Olá Daniel. É uma questão muito particular, não tenho como te falar isto, depende de diversos fatores, sendo que o mais importante que destaco é o conhecimento do empreiteiro da sua equipe de trabalho, do potencial de entregar a obra contratada. É aí que está a diferença entre ganhar e perder dinheiro, porque dificilmente você vai conseguir cobrar do cliente um preço acima do mercado, para reduzir seu risco.

      Lamento não te dar uma resposta objetiva, mas espero ter ajudado.