Planilha de Orçamento de Obra Como Fazer Passo a Passo

Tempo de leitura: 13 min

Escrito por eliogualberto
em 14 de dezembro de 2021

Uma Planilha de Orçamento de Obra pode auxiliar muito quem deseja executar uma obra, seja ela residencial ou comercial.

Se você deseja aprender como montar sua própria planilha de orçamento de obra, passo a passo, acompanhe este artigo e veja os itens que você deve considerar e incluir na sua planilha de custos de obra.

Este artigo é adequado para quem tem conhecimento sobre projetos e obras, já que não vou abordar questões de como fazer levantamentos de quantitativos ou sobre técnicas de construção, materiais a serem empregados e profissionais a serem contratados.

Então o tema será tratado para aprendizado de iniciantes no trabalho de orçamentação de obra, porém com os pré-requisitos levantados.

Outra questão é sobre nossa ferramenta básica para elaboração da planilha de orçamento de obra, que é o Excel.

Você precisará ter conhecimentos básicos sobre este sistema da Microsoft pois ele é base das planilhas, que tornarão possível fazer a automatização dos cálculos.

Vou usar aqui a versão 2013, assim se você tem uma versão do Oficce mais antiga não terá problemas para abrir o arquivo criado, que será disponibilizado para download no final.

1 – Quais são os tipos de orçamento de obra existentes?

Dependendo da sua necessidade um orçamento de obra pode necessitar de informações diferentes, e por isto precisamos diferenciar os orçamentos de obras para definir qual iremos usar para criar nossa planilha de custos de obras.

1.1 – Orçamento estimativo área x metro quadrado

Para quem pretende saber apenas um valor estimativo de sua construção, pode não ter a necessidade de criar uma planilha, talvez multiplicar a área de construção por um custo de obra por metro quadrado possa resolver seu problema.

Pode usar, por exemplo, o simulador de custos de obra presente no site Gerência de Obras.

Os valores obtidos com esta estimativa, obviamente, são custos para avaliações preliminares dos recursos necessários à construção e não números que darão base as contratações, compras e controle da obra.

1.2 – Orçamento estimativo com base em custos conhecidos

Este tipo de orçamento é usado por quem trabalha de forma constante com a execução de obras e por isto tem dados históricos para avaliar o custo da obra.

Parte-se dos custos obtidos em uma obra executada que é convertido em preço por metro quadrado (m2), tanto a parcela de materiais, quanto a de mão de obra.

Quanto mais preciso e detalhado forem os dados gerados na obra executada, melhor será a condição do novo orçamento.

A planilha gerada pode simplesmente separar custo de materiais e mão de obra em dois grandes itens ou utilizar algumas quantidades conhecidas da nova obra para dar mais precisão ao orçamento.

É um modelo de planilha bastante simples, conforme imagem abaixo. Os valores são aleatórios.

planilha de orçamento estimativo

1.3 – Planilha de orçamento com preços unitários de tabelas

Uma planilha de orçamento com preços unitários de tabela é um tipo de orçamento que considera todo o quantitativo dos serviços da obra em questão, porém utiliza os preços unitários gerados em tabelas de órgãos governamentais ou empresas especializadas em custos de obra.

Exemplos de tabelas de preços unitários são:

Tabela de preços Goinfra (Agetop)

Tabela de preços de serviços do SINAPI

Tabela de preços de obras Dnit (Sicro)

Tabela de preços da Secretaria Municipal do Rio de Janeiro SMI

Tabela de preços SEINFRA Minas Gerais

Uma característica negativa de muitas destas tabelas de preços governamentais é o tempo de atualização. Muitas ficam até mais de um ano sem correção dos valores, o que pode levar a avaliações de preços com defasagens significativas.

O destaque positivo são os preços do SINAPI que possuem boa regularidade de atualização, além dos valores serem regionalizados por estado.

Algumas tabelas apresentam apenas os preços unitários dos serviços, enquanto outras são bem completas, entregando as composições dos preços.

Em um orçamento utilizando somente preços unitários você pode determinar o valor da obra, porém não terá como analisar isoladamente os materiais e mão de obra que fazem parte de cada serviço.

A planilha de orçamento de obra utilizando preços unitários pode ter o layout da imagem a seguir:

planilha de orçamento de obras com preços unitários

1.4 – Planilha de orçamento com base em composições de preços unitários

Este tipo de planilha de orçamento feita em Excel são os tipos mais completos de orçamento de obras, pois possibilitam múltiplas análises e o gerenciamento da obra.

As composições de preços unitários de serviços de obras são formas de apresentação do custo de um determinado serviço especifico por unidade de medida deste serviço.

A NBR 16633-4 define custo unitário de serviços de obra como:

O custo unitário de um serviço é obtido por meio da “composição de custo unitário”, onde se especificam todos os insumos materiais, mão de obra, equipamentos e serviços especializados, necessários para a perfeita e completa execução do serviço, em perfeita consonância ao projeto e memoriais descritivos fornecidos.

Os respectivos consumo de insumos por unidade de serviço seguem informações contidas nos projetos, especificações técnicas e memoriais descritivos.

A produtividade advém de bancos de dados de serviços similares, tabelas de referência ou pesquisas de mercado.

Na prática uma composição de preço unitário é uma receita que lista os componentes necessários para fazer uma parte inteira de qualquer serviço de construção, incluindo materiais, mão de obra e equipamentos.

Estes componentes apresentam sua quantidade, preço unitário e preço total.

Se o serviço for o preparo de concreto serão listados os componentes como cimento, areia, brita, servente, pedreiro e betoneira.

Para cada item (insumo) teremos suas quantidades (coeficientes), normalmente com as unidades mais utilizadas no mercado da construção.

Então teremos, no caso do concreto, quantos quilos de cimento (kg), quantos metros cúbicos de areia (m3), quantos metros cúbicos de brita (m3), quantas horas de servente (h), quantas horas de betoneira (h) e assim por diante.

Com base nestas quantidades dos insumos podemos, além de obter o custo da obra, fazer a separação exta entre custos de materiais e mão de obra, levantar quantitativos para compras, fazer a programação de execução e compras, entre várias outras atividades mais analíticas da obra.

Veja abaixo um modelo de composição unitária de serviços de obra:

planilha de composição unitária

Observe que nesta composição o autor (Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes – Goinfra) fez a separação entre materiais e mão de obra, utiliza campos para definir o valor dos encargos sociais sobre a mão de obra, define um código próprio para identificar seus insumos (código auxiliar), possui campo para incluir o percentual e valor do BDI.

No cabeçalho da composição ao lado do título que descreve o serviço é utilizado um código próprio para o serviço, que é muito útil para identificar a composição na planilha de orçamento. Também inclui data base e a unidade do serviço (m3).

Uma planilha de orçamento com base em composições unitárias para ter sua leitura facilitada lista estas composições em uma aba de planilha separada do relatório analítico, ou até mesmo em um arquivo separado, importando apenas o valor para este relatório.

Os valores importados podem separar os materiais da mão de obra, facilitando os cálculos que analisam estes dados de forma individualizada.

Veja abaixo um modelo de planilha:

planilha de orçamento com base em composições

A coluna código relaciona os identificadores da composição de preços unitários utilizada, trazida, neste caso, de outra aba do arquivo.

2 – Porque você deveria aprender montar uma Planilha de Orçamento de Obra?

As planilhas de Excel para orçamentos de obras existem a muito tempo e alguns podem achar que elas são um instrumento ultrapassado diante dos poderosos programas de orçamentos de obras e aplicativos para celular existentes.

Mas isto é um grande engano.

As planilhas de orçamento de obra desenvolvidas no Excel ainda são uma ferramenta muito eficaz para análise dos custos e acompanhamento de obras.

Obviamente que se você tem que orçar e controlar várias obras um sistema de orçamentos passará a ser útil e necessário, visando não só produtividade, mas também a melhoria do controle, possível com o aumento da capacidade de processamento disponibilizadas pelos programas.

No entanto se você faz poucos orçamentos, talvez adquirir um programa pode não ser uma boa opção, já que terá um tempo de aprendizado, o sistema precisa de atualização que vão implicar em custos constantes (mensal ou anual), além do fato de estes sistemas serem desenvolvidos para que tenha demanda por seu uso.

Já as planilhas de orçamento podem ser simples, se isto atender sua necessidade, ou dispor de muitos recursos automatizados que podem tornar sua análise de custo bem completa.

Sabendo como criar a planilha você pode avançar na implementação de recursos, conforme avançam suas demandas e conhecimento.

Então aprender a montar uma planilha de orçamento de obra pode ser muito bom para quem quer fazer um bom orçamento de obra e ter esta planilha como base para usar em outros empreendimentos.

As planilhas de Excel são facilmente editáveis, possuem uma lógica de uso muito intuitiva, número de tutoriais e dicas de uso bastante amplo na internet, tornando aprender um novo recurso bem simples.

3 – Quais itens são necessários para elaborar um orçamento usando planilha de Excel?

Independente do processo utilizado, um orçamento de obras precisa conter vários itens obrigatórios para que sirva de referência no acompanhamento de uma obra, entre eles cito:

1 – Cada serviço da planilha precisa ser identificado como um item ou subitens que tornem fácil sua localização;

2 – Ser agrupado por etapas facilmente identificáveis, como os grupos de fundações, estrutura, alvenaria, revestimentos, pintura, instalações, etc.

Este agrupamento é de suma importância para tornar o controle das obras que são orçadas com a planilha criada viável e gerenciável;

3 – Conter todos os serviços que precisam ser executados na construção, de forma individualizada, possibilitando a qualquer pessoa que queira entender o orçamento quais são serviços considerados no custo.

Entenda que uma parede pode precisar dos serviços de alvenaria, chapisco, emboço e reboco. Mas você pode fazer a parede, também, com alvenaria e reboco paulista.

Então o serviço a ser orçado não pode ser simplesmente “parede de alvenaria”, precisa listar quais são os serviços componentes para construir o elemento, possibilitando que outras pessoas saibam quais são, suas quantidades e preços;

4 – A planilha precisa explicar como os preços unitários foram definidos e a melhor opção é o uso de composições unitárias.

Mas se usa valores prontos, de uma fonte externa, precisa identificá-la.

5 – Uma típica planilha de excel estará, obviamente, estruturada em várias colunas. Utilize estas colunas para demonstrar todas as possibilidades de custos da sua obra.

Crie colunas para unidades, quantidades, preços unitários de materiais, preços unitários de mão de obra, uma para preços totais de materiais e outra de mão de obra, crie uma coluna para soma estes dois valores e uma coluna para mostrar o percentual de cada serviço, em relação ao custo total.

Nem todos os casos vão exigir tantas informações, portanto avalie a necessidade de usar todas estas colunas que citei.

4 – Criando sua Planilha de Orçamento de Obra

Como estamos tratando da criação da planilha de orçamento de obra, estamos assumindo que os projetos estão elaborados e os levantamentos de quantitativos já foram feitos ou estão em condições de serem feitos.

Primeiro passo: defina a estrutura de seu orçamento, com as etapas da obra nas quais vai subdividir sua planilha de excel.

Nesta fase faço uma sugestão:

Utilize agrupamentos de etapas da obra já reconhecidos no mercado da construção, para facilitar seu trabalho e também fazer com que sua planilha esteja alinhada com o que os profissionais do ramos estão acostumados a ver.

Uma boa referência de etapas de uma obra é usar a planilha de orçamento resumo da Caixa Econômica Federal, conhecida com PFUI (Proposta de Financiamento de Unidade Isolada) e que na última atualização passou a ser chamada de PCI (Proposta de Construção Individual). Pode ser baixada em vários sites da internet, mas deixei o arquivo aqui, também, para você baixar.

Outra referência é a planilha de custo de obras disponibilizada gratuitamente aqui mesmo, no site Gerência de Obras, que você pode baixar neste link. Esta planilha é mais simples que a PCI da Caixa, possui 14 etapas de serviços, mas permite simular o custo da obra pelo CUB.

A planilha PCI lista vinte etapas para a construção, mas você pode acrescentar sub etapas se achar que a divisão está muito resumida, que os grupos estão muito grandes.

Segundo passo: é interessante criar uma planilha completa, com o máximo de serviços possíveis de acontecer em uma obra para construção de uma casa e agrupar estes serviços dentro das etapas e sub etapas definidos no primeiro passo.

Assim quando for fazer um novo orçamento utilizando sua planilha precisará apenas eliminar os serviços que não farão parte de sua obra.

Esta planilha completa vai te ajudar a não esquecer algum serviço, por mais pequeno que possa parecer.

Para verificar os serviços que podem compor sua planilha completa pode usar o livro TCPO se tiver acesso ou tabelas como da Goinfra, que citei no item 1.3.

Além dos serviços, ela vai te ajudar com os preços unitários, lembrando que na questão dos preços é uma tabela para uso no estado de Goiás.

Terceiro passo: Verifique agora quais são os serviços que podem ser utilizados na sua obra e informe as quantidades de cada um, com base no levantamento que fez nos projetos.

Você pode ver como fazer um orçamento de obra residencial lendo o artigo: https://gerenciadeobras.com.br/quanto-custa-construir-uma-casa-de-3-quartos

Quarto passo: defina sua base de preços, conforme abordado no item 1, lembrando que trabalhar orçamento de obra com composições unitárias pode te dar mais confiabilidade com o passar do tempo.

Preços unitários de órgãos podem não representar a realidade da sua obra, seja quanto aos preços dos insumos ou quanto aos coeficientes utilizados para sua composição.

Os dois formatos mais adequados para composição da planilha são os indicados nas imagens das planilha dos itens 1.3 e 1.4.

O modelo de 1.3 será melhor quando você usar preços unitários de base de terceiros, qua não separam materiais de mão de obra.

Já a planilha do item 1.4 é mais completa e exige mais informações, que você terá com facilidade se usar composições unitárias.

Quinto passo: agora insira as fórmulas e finalize sua planilha. Estabeleça cálculos que facilitem a verificação das suas contas.

Se você totalizar cada item, use uma coluna que facilite a totalização do orçamento somando todos os serviços com uma fórmula que vá da primeira à última coluna sem intervalos e depois compare com a soma dos itens.

planilha de orçamento de obras em excel mostrando colunas

Observe na figura acima que os itens são totalizados coluna “F” da tabela excel, enquanto o valor total está na coluna “M” que pode ser somada sem preocupação com exclusão de linhas, minimizando possibilidade de erros.

Confira o somatório dos itens;

Confira o somatórios dos preços unitários de materiais e de mão de obra;

Verifique as composições;

Verifique os preços de insumos (materiais e mão de obra) utilizados;

Verifique os quantitativos levantados;

E, então, finalize sua planilha.

5 – Conclusão

O artigo é um tanto longo, mas a meta era disponibilizar o máximo de informações para que você possa criar sua planilha de orçamento de obra, passo a passo, usando outras planilhas como base.

Se você que uma planilha de orçamento mais avançada, sem ter que desenvolvê-la, nosso site disponibiliza a Planilha Beta21, que foi desenvolvida para elaboração de orçamentos utilizando os insumos informados pelos Sinapi.

A planilha é automatizada e editável, conta com relatório analítico, composições, banco de insumos que pode ser pesquisado por código ou termos.

Outro recurso interessante é a totalização de materiais e mão de obra que acontece nas composições e, também, por insumo. São quantificados os itens para os quais se informam quantidades na planilha analítica.

Como a planilha é baseada no banco de insumos do Sinapi você poderá atualizar os orçamentos elaborados substituindo os dados existentes pelos novos, que são publicados pela Caixa Econômica Federal regularmente.

Conheça a planilha Beta 21, clicando aqui.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!